segunda-feira, 25 de abril de 2011

Entrevista - Garota de Programa de Luxo - Pt1

Profissão LOL – garota de programa de LUXO



Aos 17 anos ela foi expulsa de casa. No mesmo ano decidiu se prostituir para ganhar a vida, e gostou. Mikaela foi garota de programa de luxo por 6 anos. Hoje é noiva, escreve no Delírio Intenso dos Sentidos e no Muita Pimenta e diz não guardar nenhum arrependimento.

Fale um pouco sobre você
Meu nome é Mikaela, sou uma ex-GP de LUXO (garota de programa), tenho ainda 23 anos, mas dia 21 de outubro é o meu aniversário.
Nasci e cresci em São Paulo e adoro essa cidade, pois aqui encontro TUDO que mais gosto: comidas de culinárias variadas, as melhores bebidas, roupas e sapatos de grifes, (que adoro) gente rica, elegante e MUITO safada.
Entenda que EU procuro EXATAMENTE o que EU desejo. Sou uma mulher que vive a vida intensamente, sem medo de ser feliz, sem medo de fazer EXATAMENTE o que eu sempre desejo fazer. Faço as minhas escolhas e não ligo para a opinião alheia. Ou seja, NÃO me importo com os “falsos moralistas”, sempre de plantão. Detesto gente que se preocupa mais com a vida alheia do que com a sua própria vida. Procuro me afastar de gente assim, pois os considero atraso de vida.
Eu NÃO sou preconceituosa, ainda mais quando o assunto é sexo. Sou bissexual, mas tendendo mais a ser heterossexual. RESPEITO à opção sexual de TODOS os seres humanos. O importante é ser FELIZ, e principalmente se aceitar exatamente com essa opção.
ADORO sexo, sem aquelas frescuras, que algumas mulheres ainda possuem. Comigo rola “quase” TUDO na cama (fora dela também). Curto alguns fetiches sexuais, mesmo porque era bem paga para realizá-los. Eu me considero uma mulher de muita sorte, pois a genética foi generosa comigo e sempre consegui excelentes clientes. Sempre fui vaidosa e malho todos os dias na academia. Também me alimento de maneira saudável, afinal a vida é uma só.
Adoro dançar, ouvir uma boa música, ler excelentes livros, e de uns tempos para cá comecei a escrever sobre sexo em alguns blogs. Não, eu não me considero uma “blogueira”, mas sim uma pessoa que relata o que mais sabe fazer nessa vida, que é sexo. Lógico que eu tenho as minhas outras qualidades e também defeitos, pois sou humana. Normalmente, eu sou muito bem-humorada, educada e carinhosa, mas também sei ser bem malcriada com quem merece. Não sou de perturbar ninguém, fico sempre na minha e tampouco agrido pessoas gratuitamente, ainda mais quem não conheço pessoalmente.
Acho que EU sou bem normal.  [risos]

Como você se tornou GP?
Sexo sempre fez parte da minha vida, isso desde pequena.
Com 10 anos beijei na boca pela primeira vez. Gostei muito e não parei mais de beijar. Aos 11 anos eu já tinha um belo corpo de mulher, que foi se desenvolvendo ainda mais. Perdi a minha virgindade aos 14 anos, com um estudante de medicina, que tinha na época 21 anos.
Algumas pessoas ficarão chocadas com isso, mas eu o desejava e não me arrependo dessa decisão. Acho que nem preciso ressaltar que “um futuro médico” me ensinou muito sobre como evitar uma gravidez indesejada e como evitar DTS. Ah, sim. EU SEMPRE CUIDEI com primor da minha SAÚDE ÍNTIMA, principalmente.
Namorei com o PHN por mais 3 anos, mas depois terminamos. Ele era rico, pretendia terminar os estudos no exterior, e eu era apenas uma garota sem sobrenome reconhecido na elite de São Paulo. Rolou uma mágoa que julgo comum, mas passou. TUDO passa nessa VIDA, por isso eu VIVO intensamente cada minuto que posso.
NÃO vou culpá-lo jamais pela minha escolha profissional, pois EU decidi ser GP de LUXO.

Aos 17 anos de idade fiz o meu primeiro programa. Logo surgiu o segundo e o terceiro… Quando completei 18 anos eu me tornei verdadeiramente uma GP de LUXO. A princípio, como em toda profissão, enfrentei algumas dificuldades, mas rapidamente a minha agenda estava repleta de “excelentes” clientes. TODOS com um “imenso” poder aquisitivo. Escolhi essa profissão por motivos óbvios: gosto muito de sexo e de dinheiro, então eu resolvi unir o útil ao agradável. Ser bonita e gostosa facilitou TUDO, mas é preciso muito mais que isso para ser uma GP de LUXO.
Costumo dizer que sou infinitas mulheres em um só corpo, em uma só alma. Sempre fui segura e decidida. Traço metas e faço acontecer. Um cliente totalmente “satisfeito” me indicava para outro. Assim, a minha agenda já não tinha mais vaga. Sempre fui muito seletiva e NÃO transava se não sentisse DESEJO pelo cliente em questão. Criei uma espécie de “ligação especial”, com todos eles. Isso me rendia ainda mais dinheiro, com isso, ainda mais vontade de continuar na minha profissão.
Houve muita indecisão até a decisão final de se tornar uma garotade programa? Como foi essa fase em que provavelmente você teve devencer conflitos internos sobre a questão?
Seria interessante para muitas pessoas que eu contasse por aqui, que eu entrei em crise existencial, que perdi o sono, que deixei de comer, ou algo do estilo “dramático”, mas eu NÃO tenho o porquê inventar algo que realmente não aconteceu. NÃO, eu não passei por nada disso. Estava BEM decidida. Totalmente SEGURA do que EU queria.
Acho que poderia encerrar por aqui essa resposta, mas acredito que muitas pessoas querem saber exatamente o que rolou para que eu optasse por essa profissão. Bem, vou tentar resumir rapidamente a minha vida, até o momento da decisão final.
Sou filha única. Meu pai era engenheiro mecânico e a minha mãe é pedagoga (se ainda estiver viva). Eu havia completado 15 anos quando perdi meu pai. Antes de completar 17 anos, minha mãe simplesmente me expulsou de casa. Isso porque ela encontrou na minha gaveta da cômoda: preservativos e um vibrador. Ouvi da minha própria mãe que eu era uma puta, pois não era mais virgem. NÃO, ela nem sequer me deixou falar. Eu ainda precisava terminar os últimos meses de colégio, mas isso não a impediu de me expulsar de casa e sem dinheiro algum.
O meu namorado já havia dito que não poderíamos mais nos encontrar porque ele ia terminar os estudos no exterior.  EU ESTAVA SOZINHA e SEM DINHEIRO. NÃO, eu nunca me revoltei por isso, nunca usei drogas e tampouco cultivei aquele ar patético de vítima. Detesto gente que fica se lamentando entregue às suas mágoas e fracassos.
Definitivamente eu não sou assim. Se não tem uma mão estendida para me ajudar, então eu sei que terei que sair da merda sozinha.
Os pais de uma amiga minha do colégio ficaram chocados com a situação, então me convidaram para morar com eles pelo menos até concluir aquele último ano. Eles pagaram o meu colégio, me deram de comer e até de vestir, pois se a Babi ganhasse um presente, então eu também ganhava. NUNCA me esquecerei dessa AJUDA, nunca. Mas é lógico que eu não podia continuar morando de favor a vida toda. Tenho os meus princípios e a minha dignidade. Ou seja, trabalhar e comprar tudo o que eu preciso, sem “pisar” em ninguém, sem “humilhar” ninguém, sem me “aproveitar” daqueles que me ajudam e sem “julgar” ninguém. Isso para mim é ter dignidade e ela não fica em nenhum órgão do meu corpo, mas sim no meu caráter. Há quem recrimine tudo isso, mas na verdade isso não me interessa.
E foi em uma festa de aniversário dessa mesma amiga que eu fiz o meu primeiro programa (cobrei por sexo). Ele era um quarentão atraente e muito rico, que se encantou com a linda garota de 17 anos. Costumo falar bastante sobre Y no meu blog. Na verdade, ele foi mais que um cliente, foi uma espécie de “mentor”. Como era o meu primeiro programa então eu chutei um valor que julguei bem alto, mas no mesmo dia Y me disse que eu poderia triplicar o valor, pois eu valia muito entre os “desejosos” por sexo pago e seguro.

Mais nunca sem camisinha dará, uhn!
Muitas pessoas vão condenar a atitude dele, mas eu não. FODA-SE quem não concorda, pois isso nunca me preocupou. Eu sabia EXATAMENTE o que estava fazendo e NÃO CULPO NINGUÉM, nem mesmo a minha mãe. Acho que a culpa é algo estritamente PESSOAL. Ou a pessoa sente a própria culpa ou não. Simples assim. NINGUÉM poderá forçar ninguém a sentir-se culpado. REPITO: a escolha foi totalmente minha. Não me arrependo de nada que fiz e faço, pois sou livre para fazer as minhas escolhas.
E como foi a ABORDAGEM para o fechamento do primeiro programa?Você já estava decidida a se tornar GP ou se decidiu DEPOIS de querolou? A proposta foi dele ou partiu de você?
EU já estava TOTALMENTE DECIDIDA a me tornar uma GP de LUXO. Apenas NÃO sabia como agir, pois NÃO queria ficar na rua, em bares ou em qualquer outro local do gênero: “tentando” arranjar clientes, afinal, eu desejava ser prostituta, mas de LUXO.
A festa era algo que já estava em meus planos, mas encontrar Y foi um PRESENTE. Eu já havia notado o seu olhar sutil, que me despia lentamente, então facilitei um pouco, mas fiz isso porque senti TESÃO por ele.
Fui para a sacada e logo ele já estava ao meu lado. (Não vou me estender em detalhes, mas está no meu blog: “Meu primeiro programa” .
Conversamos e ele disse que me desejava, mas eu respondi que NÃO seria de graça. Chutei um preço que EU achei muitíssimo alto. Ele sorriu e disse que pagaria o que eu cobrasse, pois ele tinha certeza que eu valia muito. Senti claramente que o que mais o excitava era o fato de ser “sexo pago” e com uma “gostosinha menor de idade”. Fomos para a sua mansão e antes de transarmos, Y trouxe em dinheiro vivo o “dobro” do valor altíssimo que eu havia cobrado. Devo ter feito uma cara de espanto nada discreta, pois ele deu uma gargalhada gostosa. Percebeu claramente que aquele era mesmo o meu primeiro programa. Depois ele me contou que sentiu um carinho imediato por mim, além da atração óbvia, então resolveu cuidar, zelando sempre por mim.
Ao final daquele encontro ele me deu mais uma quantia em dinheiro. Ei, que fique bem claro que ele nunca foi meu “cafetão”, aliás, eu NUNCA precisei de nada disso. Nem de sites para divulgar o meu trabalho. Isso era feito de cliente para cliente, começando por Y, entre os “desejosos” por “sexo pago” e “seguro” da elite de São Paulo. Y sempre PAGOU MUITO BEM por todos os programas que fez comigo. Também me deu conselhos que julgo “preciosos” para a minha profissão.
Devo ressaltar aqui, que eu NÃO deveria ter transado sem preservativo, mas eu confiei nele, confiei nos meus instintos. Isso foi jogar com a sorte: NÃO RECOMENDO. Nisso, eu errei: FEIO. Ainda bem que ele era um homem totalmente saudável eíntegro, apesar de muitos julgarem tudo isso errado, pecaminoso, imundo, imoral etc… Depois ele mesmo me deu uma “broca imensa” e me “orientou”, sem rodeios, como eu deveria agir com os meus supostos clientes.
Sou uma garota de muita sorte por ter encontrado esse homem, que julgo mais que um cliente, mais que um amigo… Sem dúvida, o meu primeiro programa abriu as portas para o meu mundo “GP de LUXO”.
ADOREI a experiência que apenas fortaleceu a minha decisão. Só esperei completar 18 anos para me declarar abertamente que era uma prostituta de L-U-X-O. LUXO mesmo. Eu ditava as minhas regras, escolhia os meus clientes e ganhava uma fortuna, fazendo exatamente o que EU mais curto nessa vida: sexo.
Que características você considera essenciais para ser uma GP DE LUXO de sucesso?

Dica: ser um cientista NÃO é uma delas
EU considero o SUCESSO algo muito relativo. Nem sempre você o alcança, mesmo tendo as “características” consideradas “principais” para a sua profissão.
TUDO também depende do fator “sorte”, como: o momento certo, no lugar certo, com a pessoa certa… É preciso uma “alavanca” para te impulsionar rumo ao sucesso. Foi o que aconteceu comigo quando conheci o Y, que por ser MUITO influente entre os “desejosos” por “sexo pago” e “seguro”, então me abriu os MELHORES caminhos dentro da minha profissão. Mas é lógico que o MÉRITO também é MEU, pois se fosse o contrário, então eu não teria clientes fixos e tampouco teria minha agenda lotada, como era até um mês atrás.
Uma GP de LUXO precisa ser linda, gostosa, MUITO BOA de CAMA (bissexual, de preferência), sensual, carinhosa, amiga, desprovida de preconceitos, principalmente com ela mesma, tem que ser TOTALMENTE segura de si e de tudo que ela sabe fazer muitíssimo BEM, sua conversa precisa ser agradável (cultura nunca é demais), precisa saber falar ou calar, é de suma importância saber com quem ela pode falar “palavrão” ou quem precisa ser sempre uma  lady.
Também precisa saber se vestir bem (para cada ocasião uma roupa e um comportamento ADEQUADO – o bom senso é necessário), o seu “senso de humor” precisa ser “sábio”, sim é isso mesmo, precisa ser sempre coerente com a ocasião.
A GP de LUXO precisa ser esperta, seus SENTIDOS precisam ser mais aguçados do que o normal. Sempre surge um cliente que tenta te sacanear, então a GP precisa saber antecipar BOA parte dos pensamentos do cliente, das suas reais intenções. Um exemplo simples e muito comum: o cliente tenta te embebedar (drogar), na vã tentativa de obter mais do que ele te pagou. O mundo é assim, as pessoas sempre estão querendo levar vantagem em TUDO, mesmo sendo RICAS e tendo um sobrenome de peso. Nessa hora, a GP reverte SENSUALMENTE essa situação. Isso não quer dizer que ela vai sacanear o cliente, mas sim se defender. A GP de LUXO precisa aprender a conhecer o seu cliente, ele precisa estar totalmente em suas mãos. Ela o SEDUZ, o CONQUISTA e o faz DESEJÁ-LA cada vez MAIS, e sempre mais.
Sim, o sexo, o BOM SEXO: vicia. Parece que SER tudo isso é TRABALHOSO demais, mas NÃO é. Tudo isso para mim é tão simples como o ato de respirar. Para muitos pode parecer “prepotência”, mas é simplesmente segurança. Sei quem sou e do que eu sou capaz, por isso sempre tive EXCELENTES clientes e fazendo exatamente o que eu DESEJO.


CONTINUA...
(via @lolhehehe)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget